O Centro Universitário Santa Amélia (UniSecal), em parceria com a Frísia Cooperativa Agroindustrial e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE Ponta Grossa), realiza o projeto ‘Recicle Lixo e Colha Flores’. A ação é organizada pelos cursos de Administração e Ciências Contábeis e tem como objetivo incentivar a comunidade a realizar a coleta de lixo reciclável. Isopor, metal, papel, plástico e vidro podem ser entregues até a próxima sexta-feira, 20 de setembro, no Campus I da UniSecal (Rua Barão do Cerro Azul, 827, Centro, Ponta Grossa/PR). E, em troca, uma muda de flor será entregue.

O projeto ‘Recicle Lixo e Colha Flores’ teve o apoio do projeto ‘Sementes do Bem’, que a Frísia realiza em conjunto com a APAE. A abertura oficial da ação sustentável, que faz parte do projeto de extensão ‘Contabilizando Solidariedade’, aconteceu na última segunda-feira, 16 de setembro, durante a ‘1ª Semana da Responsabilidade Social e Meio Ambiente’ da UniSecal. Participaram do evento a professora e coordenadora do projeto, Tanise Pereira Barreto Zadra, coordenadora das graduações em Administração e Contábeis, Rúbia Carla Santi, coordenadora de Gestão de Pessoas da Frísia, Mayb Maia, diretora da APAE Ponta Grossa, Josneide Aparecida Kalempa Panazzolo, e a professora dos funcionários Frísia na APAE, Silvana Andrian.

Segundo a professora Tanise, a ação de responsabilidade social contribuirá para o desenvolvimento dos acadêmicos e da comunidade. “Nossos alunos aprendem questões ambientais desde a teoria, dentro da sala de aula, até em atividades práticas como a que estamos realizando. E para a sociedade, é mais um motivo para que ela comece a reciclar o lixo e que realmente entenda essa importância”, explica a docente.

Para Cirson Soares da Silva Moura, ex-aluno de Contábeis da UniSecal e organizador do projeto, essas ações sociais que a instituição realiza no decorrer da graduação, fazem diferença na formação dos acadêmicos. “Como contador, esses projetos ajudam você entender a necessidade de seu cliente e a enxergar o lado humano das pessoas”, enfatiza Moura.