O moinho de trigo Herança Holandesa, que produz a linha de farinhas de trigo da Unium, instalado em Ponta Grossa, apresentou crescimento no seu faturamento no último ano e projeta outra alta para 2021. A valorização do dólar, a alta das commodities e a maior demanda de mercado contribuíram para que os negócios das cooperativas agroindustriais da região crescessem e ganhassem mercado, tanto no mercado nacional, quanto no internacional. A Unium é a marca institucional de industrialização que representa os projetos em que as cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal.

No ano passado, a Herança Holandesa registrou um faturamento de R$ 211 milhões, resultado 31% maior que no ano anterior, mesmo em um ano marcado pela retração econômica devido à pandemia. “2020 foi um ano muito bom para os negócios da Unium. As indústrias precisaram se adaptar para manter as operações, mas a força do cooperativismo e também a demanda do mercado mantiveram a produção aquecida e nos deixam com uma previsão ainda melhor para 2021”, destaca o coordenador de negócios do moinho de trigo, Cleonir Ongaratto.

A produção de leite da marca, por exemplo, cresceu 3,21% em 2020. Segundo dados da Unium, o volume produtivo somou quase 1,3 bilhão de litros, com um faturamento aproximado de R$ 2,4 bilhões, 26% maior que em 2019. “O investimento na indústria e o aumento no consumo andam juntos. Quanto mais nos dedicamos ao ciclo produtivo e à qualidade dos produtos, mais seremos reconhecidos, tanto nas prateleiras dos supermercados como pelas empresas parceiras para as quais industrializamos”, afirma o gerente comercial da Castrolanda, Egidio Maffei.

Para 2021, a marca pretende ir ainda mais longe. “O investimento em tecnologia de ponta, novos formatos de trabalho e inovação são o foco da Unium em todos os setores e, a partir disso, o nosso principal objetivo é alavancar cada vez mais nossos negócios e mostrar para o mercado o potencial da intercooperação dentro da indústria”, finaliza Maffei.

Setor representa quase 6% do PIB

O investimento na industrialização do setor agropecuário já é uma realidade. De acordo com levantamento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), as indústrias desse setor correspondem atualmente a 5,9% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. No Paraná, por exemplo, 79 agroindústrias são ligadas a cooperativas, sendo 10 do segmento de óleo de soja; 12 moinhos de trigo e milho; 30 indústrias de ração; 16 indústrias de carne, frango e suínos e oito plantas de processamento de leite, segundo dados da Ocepar.

Fonte: Jornal da Manhã