O trabalho da Frísia para a redução das emissões de gases do efeito estufa é reconhecido pelo terceiro ano consecutivo. A Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo do Paraná (Sedest/PR) premiou a cooperativa com o Selo Clima Paraná, na categoria Original, que é a adesão voluntária para realizar o acompanhamento dos inventários das emissões.

O prêmio mostra o comprometimento da cooperativa com o desenvolvimento sustentável, cuidado com o meio ambiente e preocupação com a atual e as futuras gerações. De acordo com o analista ambiental da Frísia, Jean Cesar Andrusko, os dados das emissões são encaminhados para a Sedest, que, por sua vez, faz a verificação das informações e a validação.

“A secretaria outorgou a Frísia como uma empresa comprometida com a redução da emissão de CO², um dos gases que causam o efeito estufa. Com adesão voluntária, a cooperativa participa há três anos, mostrando transparência em todas as atividades que temos. É muito gratificante porque o prêmio deste ano contemplou 71 empresas do Estado, e novamente podemos ver a Frísia entre elas, mostrando compromisso não somente com o meio ambiente, mas com a sociedade em geral”, destaca Andrusko.

Entre as ações da cooperativa pela redução do dióxido de carbono, uma delas é voltada para a Unidade Produtora de Leitões (UPL), em que a queima do biogás gerado pelos biodigestores garante o aquecimento térmico de 12 mil leitões por mês, reduzindo o consumo de energia elétrica e, consequentemente, os gases de efeito estufa. Também há a utilização em suas operações de 100% de biomassa provenientes de áreas de reflorestamento. São 300 hectares de florestas plantadas (próprias) com eucalipto que sequestram próximo de 40 mil toneladas de CO², além de 400 hectares de florestas nativas que sequestram cerca de 120 mil toneladas de CO².

O setor florestal movimenta atualmente mais de 100 mil toneladas de madeira por ano, o que representa mais de 45 mil toneladas por ano de CO². São 30% na redução de dióxido de carbono devido a utilização de biomassa nas caldeiras, uma energia limpa e sustentável. Também são 60% de CO² estocados em produtos madeireiros (chapas, painéis, móveis etc.) dos clientes.

“Temos incentivos dos nossos dirigentes, da diretoria e dos próprios cooperados, o que coloca a Frísia em um patamar diferente, onde os grandes players do Paraná estão. Por parte do Estado é muito importante esse reconhecimento, se tornando um incentivo para fazermos mais”, conclui o analista ambiental da Frísia.

Fonte: Assessoria Frísia