Oito meses após o lançamento, a mostra fotográfica virtual “Interiores – A identidade holandesa nas residências de Carambeí” ganha versão física no Parque Histórico de Carambeí, na ala museal do Parque das Águas. A exposição, composta por fotos que retratam a decoração das casas dos imigrantes e descendentes, mostra a presença da cultura neerlandesa nos detalhes.

De curadoria de Felipe Pedroso, historiador e coordenador cultural do Parque, sob a ótica do fotógrafo e designer Lucas Los, inicialmente a mostra fotográfica foi lançada só no meio digital, pois no período em que entraria em cartaz o Parque Histórico estava fechado para visitação, seguindo decretos municipal e estadual como forma de contenção ao contágio da pandemia da Covid-19.

O historiador relata que a proposta da exposição é mostrar como a cultura holandesa permanece presente na ornamentação das casas da comunidade. “A ideia dessa mostra fotográfica nasceu da necessidade de evidenciar as questões de permanências e rupturas acerca das identidades do imigrante holandês e seus descendentes, principalmente no âmbito privado, ou seja, no seio do lar”, conta Felipe.

Os registros do interior das casas farão com que o público entenda o que o fotógrafo enxerga. “Vejo na fotografia o poder de fazer o outro ver o mundo com os olhos do artista”, os retratos mostram o encantamento de Lucas com essas decorações e os detalhes que muitas vezes não são notados. “Fazer essas fotos foi uma realização, desde pequeno sempre admirei muito as residências da colônia e observei detalhes que me chamavam a atenção na casa do opa (avô) e oma (avó). Fazer essas fotos me permitiu mostrar para as outras pessoas essa forma de ver coisas que muitas vezes passam despercebidas”.

O processo de fotografar, conhecer o interior das residências e descobrir a ornamentação que remete à cultura dos imigrantes para preparar a exposição, foi uma experiência ímpar para o historiador. “Fazer a curadoria dessa mostra e fotografar as residências dessas pessoas da comunidade foi muito interessante, muitos não tinham a noção dos diversos elementos representativos da identidade neerlandesa que estavam presentes na composição de adorno de suas casas. Foi um processo interessante até mesmo para os participantes que abriram as portas de seus lares para que pudéssemos de alguma forma captar essa essência remanescente”, expõe o historiador.

O fotógrafo espera que ao apreciar suas fotografias os visitantes do Parque enxerguem além das imagens. “Espero que a mostra abra os horizontes do público para que possam admirar particularidades do cotidiano, aparentemente comuns, mas que trazem muita história por trás”, declara Lucas.

Felipe finaliza relatando suas expectativas em relação à mostra, pois ela traz para o Parque o presente que é deixado de lado e ocupado por elementos históricos de outras exposições. “A mostra é um contraponto de tudo que já está exposto no museu, pois como um museu histórico, privilegiamos a exposição de peças e fotografias antigas, que remetam ao passado. No caso dessa mostra, fizemos o oposto, privilegiamos o tempo presente e de como os elementos definidores de identidade, muitos deles com origem no século XVI e XVII, ainda se fazem marcantes. Portanto, espero que com essa exposição, os visitantes possam ter uma ideia de como é a intimidade da comunidade no interior de suas residências, suas relações com a estética e identidade da cultura neerlandesa”.

Serviço:

O Parque Histórico de Carambeí abre para visitação de terça a domingo, das 10h às 17h. A mostra fotográfica virtual “Interiores – A identidade holandesa nas residências de Carambeí” está disponível no site https://www.aphc.com.br/interiores. Mais informações pelo telefone (42) 98433-4639.

Fonte: APHC