Este é um ano significativo para a Associação Parque Histórico de Carambeí (APHC). Em 2021, é celebrado os 110 anos de imigração holandesa no município e os 20 anos de fundação da instituição que nasceu com o desejo de preservar a memória dos imigrantes holandeses e difundir esta cultura.

“No próximo dia 4 de abril estaremos relembrando os 110 anos da colônia Carambeí, foi quando chegaram as primeiras famílias de imigrantes holandeses. Já se passaram 10 anos do dia em que comemoramos o nosso centenário, um evento inesquecível quando inauguramos a Vila Histórica no nosso Parque, ala museal que reproduz a antiga colônia de imigrantes, foi o ponto alto das festividades. Dez antes, ou seja, em 2001, fundamos a Associação Parque Histórico de Carambeí, ocasião em que inauguramos a Casa de Memória de Carambeí, na qual estava inserida, entre muitas peças museais e ambientes que retratam o passado da colônia, uma bonita maquete, feita por pessoas da comunidade, mostrando as construções dos primeiros tempos da colônia Carambeí. Essa maquete era o sonho que deveria se tornar uma realidade, o que aconteceu somente em 2011, por ocasião do centenário”, Dick Carlos de Geus, presidente da Associação Parque Histórico, lembra de fatos notáveis e relevância deste ano comemorativo para a instituição.

Para o historiador e coordenador cultural do Parque Histórico de Carambeí, Felipe Pedroso, este é um ano de festa, marcado pela chegada dos imigrantes holandeses e pela inauguração do museu, comemorações que estão ligadas. “É com muita alegria que celebramos neste ano os 20 anos da APHC e consequentemente, 20 anos do museu Parque Histórico de Carambeí, ambos são indissociáveis e estão atrelados em sua história. Também comemoramos os 110 anos da imigração holandesa no Paraná, o que também é um marco a ser celebrado em lembrança e homenagem aos primeiros imigrantes que buscaram nos Campos Gerais do Paraná uma vida melhor.”

Dick ressalta que a fundação do museu colocou Carambeí na rota do turismo. “Nessa trajetória de duas décadas, inserimos nos Campos Gerais do Paraná o maior museu histórico a céu aberto do Brasil, que é hoje um dos locais mais visitados do nosso Estado”.

A data comemorativa não passará em branco, será celebrada mesmo que timidamente pela instituição, que ao invés de fazer uma grande festa fará um evento virtual devido aos protocolos para prevenção a pandemia que proíbe ações que causam aglomerações. “Para festejar esse ano tão importante para instituição, iremos promover, mesmo com todas as limitações que o cenário pandêmico nos impõe, uma agenda cultural repleta de atrativos, obviamente numa forma segura de celebrarmos a data. Estamos investindo numa programação virtual bem extensa para o ano, inclusive migrando os nossos eventos para essa modalidade, que creio seja uma inovação para o setor museal”, expõe o historiador.

Felipe se sente agraciado por compor o quadro de funcionários da instituição. “Como funcionário do museu há 7 anos, me sinto lisonjeado de poder contribuir com essa rica história e grato por todo o conhecimento, prática e experiência que a instituição e a própria comunidade me proporcionaram. Desejo uma vida longa e próspera ao Parque Histórico de Carambeí”.

Ações do Museu para 2021

O historiador apresenta ações que serão realizadas no Parque Histórico neste ano. “Também iremos neste ano reformular o Museu do Trator, um espaço temático no complexo museal que passará por adequações. Neste sentido, buscamos contextualizar e dar mais vasão ao legado agrícola da comunidade local. Além disso, também temos um calendário com exposições físicas e virtuais com especial cuidado na acessibilidade virtual, que é uma questão muito pertinente para o momento”.

Fonte: Assessoria APHC