Na noite desta quarta-feira (26/05), a Frísia, com apoio do Sescoop/PR (Sistema S do Cooperativismo), lançou o Programa Cooperjovem 2021. Envolvendo mais de 60 professores dos municípios de Carambeí, Tibagi, Ponta Grossa, Teixeira Soares e Imbituva, o evento foi uma sensibilização e apresentação do programa, que terá encontros mensais até novembro deste ano.

Realizado de maneira 100% virtual, a live de abertura teve participação da analista técnica do Sescoop/PR, Fabianne Ratzke, do coordenador de Cooperativismo e Programas Sociais da Frísia, Luciano Tonon, e da equipe da Iza Treinamentos, consultoria especializada em cooperativismo e que conduzirá os trabalhos com o corpo docente. Em 1h30 de evento, a instrutora Izabel Bento falou sobre gestão emocinal e criatividade, enfatizando a importância do autoconhecimento e foco em soluções para os novos desafios que se apresentam. “Focar na positividade e buscar canalizar a criatividade para solucionar desafios estará cada vez mais presente no ambiente escolar, e o professor novamente será o coadjuvante deste processo. Por isso, ele precisa estar bem equilibrado emocionalmente, acreditar em seu potencial e ir atrás de conhecimento e proatividade”, relata Izabel, que conduzirá todos os encontros virtuais, junto da equipe.

Para a analista do Sescoop, o professor passou a conviver com a ausência do ambiente escolar e com as limitações impostas pela pandemia, o que resultou numa mudança estratégica nos conteúdos dos módulos do programa por parte da cooperativa anfitriã, a Frísia. “Estamos também nos reiventando, tanto que estaremos lançando um novo formato de programa para 2022, bem mais dinâmico e participativo, favorecendo maior engajamento no ambiente escolar e comunidade. A pandemia trouxe seu aspecto positivo, pois nos obrigamos a rever os processos e sermos mais competitivos ao abordar o cooperativismo coletivo com novos insights para um aluno cada vez mais proativo”, relatou Fabianne Ratzke.

Aprender a utilizar a experiência pessoal para se reiventar e ser inovador todos os dias será o perfil do profissional deste século. Neste aspecto, o coordenador da Frísia acredita que a sintonia entre professor e aluno gerarão resultados promissores no ambiente escolar. “Sem dúvida o professor será um catalizador da criatividade do aluno do século 21. O ambiente escolar pós-pandemia trará um cenário que exigirá maior sinergia na sala de aula, fazendo com que a escola seja um importante propulsor de projetos a partir das ideias dos alunos. Para isso, o programa Cooperjovem terá um papel fundamental ao trazer metodologia e conteúdos para os professores gerenciarem esta nova dinâmica”, relata Luciano Tonon.

O Cooperjovem é um programa do Sescoop Nacional, que tem apoio do Sescoop Paraná para a implantação nas escolas municipais em parceria com as cooperativas, e que em 2020 completou 20 anos de existência. Na Frísia, iniciou em 2009, tendo o município de Carambeí como piloto, envolvendo nesses 12 anos mais de 12 mil alunos e 500 professores dos cinco municípios, levando os valores e princípios do cooperativismo para a vida das pessoas. Além disso, o programa exerce o sétimo princípio do cooperativismo, de interesse pela comunidade, e está alinhado às competências da Base Nacional Comum Curricular e aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, mais especificamente ao ODS 4, que busca assegurar uma educação inclusiva e de qualidade.